Porque render não significa desistir

Este post não vai dizer nada, dizendo muito...
Quando acho que já não tenho capacidade para me surpreender com as pessoas, eis que sou surpreendida. Nem imaginam a quantidade de vezes em que penso no quanto a minha emocionalidade me prejudica mas, logo em seguida, reflicto sobre a minha forma de ser e percebo que se não fosse assim, não seria eu. Genuinamente eu! Tomei uma decisão que adiei bastantes vezes por acreditar que valia a pena continuar a lutar pelo que acredito. Hoje, sei que era só uma questão de tempo. Tantas vezes disse que ia mudar ao mundo e ainda mais vezes ouvia que não era possível. Sei que embora muito aquém das minhas expectativas, ao longo da minha vida mudei a vida de algumas pessoas e sei também que com essa mudança alterei certas coisas no mundo. No meu, no dos outros...
É com alguma tristeza e frustração que hoje me rendo. E render, não significa para mim que tenha desistido. Simplesmente, afasto-me como uma mera espectadora para assistir ao inevitável final que, ao contrário do que pensei, não será apoteótico. Não desisto, pois o que sempre fiz continuarei a fazer, junto de quem sempre esteve presente com o mesmo espírito altruísta que o meu. Com a mesma dedicação, com o mesmo empenho, com o mesmo sentido de responsabilidade com que sempre pautei cada projecto ao qual me entreguei, continuarei a ajudar. E já foram alguns... Falo-vos de projectos inseridos no meu próprio projecto de vida. Felizmente, em tudo, quando algo chega ao fim sentimos no coração que, apesar das mágoas, valeu a pena. Continuaria a valer, uma, duas, três... Mil vezes! Porque embora a desilusão seja grande, a riqueza de ter me cruzado com pessoas generosas, genuínas, lutadoras e íntegras faz-me ter a certeza de que valeu a pena, sim. Valeu!
Um beijo grande para todos os que acreditam que podem mudar o mundo, mesmo quando já se renderam (como eu) às evidências de que ele, realmente, está virado ao contrário.

5 comentários:

activestresss@sapo.pt disse...

Infelizmente, amiga, existem alturas na vida que temos que nos render!
Sabes que sempre fui contra a rendição, mas contra factos não há argumentos... e sinceramente já nem eu tenho argumentos!

Também eu me rendo... mas não desisto... tal como tu!

Johnny Mary disse...

Joana, eu rendo-me contigo!

Beijocas

Uma dona babada disse...

amiga, eu também já me rendi há uns anos e nunca pensei que o iria fazer. estou a falar do jornalismo, claro.

beijinhos!

Uma dona babada disse...

a boa notícia é que já consigo fazer comentários. quando te explicar por que é que não conseguia vais-te rir!

LuscoFusco disse...

Activestress e Johny Mary:
Lamento que tenhamos chegado a este ponto. Mas pensando bem, acho que era inevitável.
Beijo grande

Dona Babada:
Pois é amiga, no meu caso, não me refiro ao jornalismo. Espero que esse dia nunca chegue... Mas já tive menos dúvidas!
Uma beijoca grande!